13 Novas profissões do Mercado Digital, e por que só currículo não basta

13 Novas profissões do Mercado Digital, e por que só currículo não basta

Tecnologias avançadas, rapidez, mudanças; novas demandas, funções diferentes surgindo – especialmente no versátil e dinâmico mercado digital. Conheça 13 novas profissões nessa área e descubra por que não basta investir somente em desenvolvimento técnico. Veja, ainda, dicas para se preparar para o futuro.

A tecnologia influencia nossas vidas em todos os sentidos. Transforma carreiras, afeta rotinas, impacta relacionamentos; torna alguns postos de trabalhos obsoletos, faz surgir funções diferentes. No mercado digital, então, as possibilidades não param de ser ampliadas e reformuladas, em uma velocidade ainda maior. Hoje, você vai conhecer algumas delas, além de dicas para se preparar para o futuro.

As definições das profissões estão sendo atualizadas…

À medida em que há um grande impulso na inovação científica e na tecnologia, a lógica do mercado de trabalho também move suas peças para ficar alinhada às novas demandas. O que foi favorecido fortemente de 2020 para cá, nesta crise sanitária mundial.

Porém, se tudo se transforma de modo tão ágil, faz sentido se preocupar com as profissões que virão? A resposta é sim, porque, ainda que elas mudem, é importante prever cenários e tentar se preparar.

Aliás, o perfil do profissional do futuro também é influenciado pelo fato de elas mudarem. Afinal, conhecimento técnico, embora seja relevante em qualquer época, não é tudo. O desenvolvimento de capacidades pessoais é essencial, inclusive no movimentado mercado digital.

Bem, não perca as dicas sobre isso no final deste post, para ajudar no seu crescimento. Agora, com essa ideia em mente, veja as 13 novas profissões neste meio tão dinâmico e rico de oportunidades.

1. Especialista em Inteligência Artificial (IA)

A profissão de especialista em Inteligência Artificial (IA) está no estudo chamado “Profissões Emergentes”, feito pelo LinkedIn, a maior rede social corporativa do mundo. A pesquisa, originalmente produzida para mostrar as carreiras mais promissoras em 2020, serve para indicar as que deverão permanecer, no mínimo, por mais algum tempo.

Aproveitando este ponto, é válido destacar que muitas das novas profissões do mercado digital já estão em andamento em certos lugares, enquanto em outros, não, ou seja, são o futuro, mesmo que próximo. Basta notar as diferenças socioeconômicas, tecnológicas e até culturais de um país para outro, de um estado brasileiro para outro. A internet facilita o acesso às novidades, mas, como você pode notar, existem variáveis.

A lista do LinkedIn conta com 15 profissões, sendo 13 de setores ligados à Tecnologia da Informação. O que não é nenhuma surpresa. Logo, não poderiam faltar quando o assunto é mercado digital.

Quanto ao especialista em Inteligência Artificial, esse profissional deve ter conhecimentos sólidos em machine learnig (aprendizado da máquina) e técnicas de inovação. Tudo para atender às necessidades da revolução digital, que trouxe a IA, uma tecnologia baseada no pensamento humano para realizar ações sem nossa intervenção, isto é, automatizadas.

2. Analista de quantum machine learning

O analista de quantum machine learning é uma das chamadas profissões do futuro. Para trabalhar nessa função, é preciso ter um perfil criativo, pós-graduação na área e, também, anos de experiência em machine learnig, computação quântica ou data science.

Ao integrar as duas disciplinas, é possível pesquisar e desenvolver soluções de ponta, aumentando velocidade e performance de algoritmos e sistemas.

3. Construtor de jornadas de Realidade Aumentada

Já imaginou projetar, escrever, criar, gamificar e personalizar jornadas de Realidade Aumentada? Este profissional do futuro terá funções assim.

Para trabalhar no setor, é necessário ter perfil criativo, familiaridade com tecnologias (Microsfot HoloLens e Facebook Oculus, por exemplo) e com metaversos de conteúdo. Além disso, o construtor de jornadas de RA deve ter experiência com jogos competitivos multiplayer.

4. Guia de loja virtual: oportunidade no mercado digital

O aumento das compras on-line fez nascer ou impulsionou inúmeros serviços no mercado digital. O que o guia de loja virtual faz? Atende ao cliente de forma instantânea e virtual utilizando Realidade Aumentada.

É um posto remoto, para o qual é preciso ter boas habilidades de comunicação, experiência em vendas e, é claro, uma boa estrutura de trabalho.

5. Detetive de dados, o Sherlock do mercado digital

E que tal virar um tipo de Sherlock Holmes dos dados investigando mistérios em Big Data? Essa espécie de detetive do futuro busca resposta sobre o que os dados estão contando ou quais segredos escondidos neles, entre outros questionamentos.

O repertório para atuar nesta profissão vai muito além da ficção britânica escrita por Arthur Conan Doyle. É indispensável entender de finanças, matemática e Data Science.

Prepare sua lupa digital, aguce seu faro cibernético, e sucesso!

6. Facilitador de TI

Mais uma mostra do enorme potencial do setor de Tecnologia da Informação, seja no presente ou nas projeções de novas profissões.

Para ser um facilitador, é preciso: formação em TI, engenharia, ciências da computação, ciências naturais ou administração de empresas; habilidades de comunicação e liderança.

Sua função é explorar tendências digitais e criar uma plataforma self-service automatizada para seus usuários construírem seus próprios ambientes colaborativos, incluindo assistentes virtuais.

7. Atendimento SAC 2.0

É um jeito novo de analisar e interpretar as ocorrências via mídias digitais sociais. O profissional aproveita as demandas nos canais on-line para receptar e responder às pessoas. A intenção é fazer o Serviço de Atendimento ao Cliente ficar mais rápido e melhor.

8. Gerente de equipe humanos-máquinas

A crescente interação entre humanos e máquinas favorece o surgimento de profissões como esta, em que o gerente de equipe deverá ser capaz de desenvolver um sistema para que pessoas e equipamentos conversem melhor, aprimorando o time híbrido.

Os requisitos são: formação em psicologia ou neurociência; qualificação em ciência da computação, engenharia ou recursos humanos; experiência em áreas relacionadas (machine learning ou interação entre humanos e robôs). Quem tiver experiência com UI/UX poderá se destacar mais.

9. Coordenador de influenciadores digitais: mercado digital sempre em alta

Trabalhar no mercado digital como coordenador de influenciadores significa captar estas referências e criar um “menu” de opções para cada campanha ou postagem. A ideia é o coordenador otimizar tempo e chances de êxito, uma vez que poderá encontrar rapidamente o influencer ideal e designá-lo para uma ação específica.

10. Mestre de Edge Computing

É o profissional que cria, mantém e protege o ambiente de Edge Computing, a computação na “borda”, que é o limite da rede de computação em nuvem, perto da fonte de dados.

O mestre de EC tem que ser doutor na área ou em áreas relacionadas, além de ter experiência com segurança e protocolo de internet das coisas (IoT), entre outros temas. E mais: capacidade de arquitetar e projetar ambientes de computação em nuvem ou Edge Computing.

11. Mercado digital: Analista de cybercidade é tendência

O analista de cybercidade atua na segurança e funcionalidade das cidades ao garantir o fluxo saudável de dados (ambientais, populacionais etc.) pelo sistema.

Ficou interessado? Então, vai providenciando aí experiência com impressão 3D, qualificações em engenharia digital; conhecimentos sobre circuitos eletrônicos, leitura e interpretação de dados em analytics e metodologias de startup enxuta.

12. Assistente de mídias digitais sociais

A proposta é que o assistente de mídias digitais sociais seja mais operacional, trabalhando na manutenção dos canais da empresa. Um job que já tem sido bastante requisitado no mercado digital, assim como um gestor de mídias.

13. Desenvolvedor de plataforma Salesforce

O Salesforce é um dos principais sistemas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente). Por esse motivo, a demanda pelos profissionais especializados nele é grande. Fica a dica para você que sabe (ou pretende aprender) centrar toda a troca de informações entre empresa e cliente em um único banco de dados.  

Como surgem as profissões

Como você viu, as novas profissões no mercado digital incluem tendências e postos de trabalho criados recentemente, sendo as primeiras muitas vezes resultados de ocupações em alta hoje.

Lembrando que o ciclo para carreiras despontarem é sempre o mesmo. Isto é, necessidade do mercado por uma atividade – demanda mão de obra – contratação de profissionais qualificados. O volume da procura é que leva à criação de cargos. Dessa maneira, novas profissões ganham espaço.

Entretanto, esse movimento depende de diferentes dinâmicas, ligadas a fatores como a evolução dos recursos, as carências e os desejos da sociedade. Estes, por sua vez, levam a mudanças de comportamentos e nas formas de consumo.

É essencial olhar atentamente e conversar sobre o que vem por aí para as organizações, explorando a direção dos negócios, especialmente agora que a pandemia ajudou a reescrever o futuro do trabalho. O mercado digital e os demais precisam elaborar novas maneiras de se conectar com clientes, funcionários e fornecedores. Tudo isso amplia o leque das oportunidades, para todos.

Profissionais do mercado digital no futuro

Manter-se atualizado sobre as novidades, sem dúvida, é o primeiro passo. O segundo é adquirir competências para as profissões do futuro. Apesar de elas estarem muito associadas a noções de sistemas e máquinas, à tecnologia em um nível nunca antes visto, a gestão emocional é o que mais deve pesar nas contratações daqui em diante.

Também não podemos esquecer a criatividade, pois a tendência é lidar cada vez mais com situações nas quais ela será ainda mais valiosa. Falamos dela em diversas atividades listadas acima.

Várias profissões citadas neste post dependem da capacidade de unir avanços tecnológicos e experiência humana. É fato que processos operacionais serão frequentemente conduzidos por máquinas, além de algumas tomadas de decisão serem passíveis de programação. Porém, a chave para se dar bem é investir em aptidões humanas.

Conhecer as novas oportunidades do mercado digital ajuda a identificar oportunidades e até recalcular rotas, em um mundo de rápidas transformações influenciadas pela tecnologia.